MENU

O mistério do Feng Shui Ana Pedro Antunes, 03 de Abril de 2017

Transformar a vida depende apenas de nós, do que fazemos e deixamos por fazer e do que manifestamos à nossa volta. 
Convido-vos a pensar um pouco. Se a nossa casa está cheia de "tralha", guardamos tudo e mais alguma coisa pensando que vai fazer falta um dia, em pouco tempo não há espaço para nós, só para as coisas. Estamos pois a iniciar um ciclo crescente de problemas. Ficamos cansados, sem vitalidade, a sentir que temos azar. Esses são sintomas de que a energia não está a fluir na nossa casa, bloqueou e estagnou. Daí à doença é só uma questão de tempo!  
Conhece o ditado que diz: " Uma desgraça nunca vem só"? Pois bem, todas elas surgem pelo mesmo motivo. Há uma casa ou um local de trabalho que não nos alimenta convenientemente e começamos então a ter manifestações de desequilíbrio, ficamos emocionalmente instáveis e os nossos relacionamentos de trabalho, amizade e romance vão ser mais difíceis, senão mesmo impossíveis. 
Não conseguimos manter o nosso espaço limpo e organizado, o ar que respiramos fica denso, o nosso subconsciente permanece focado no que devia ser feito, o que provoca desgaste e cansaço. Sem que seja preciso fazer qualquer esforço, a concentração para resolver com facilidade as tarefas e as questões do dia a dia fica prejudicada. Passamos a dispersar, pulando de atividade para atividade sem conseguir terminar nenhum. Talvez seja importante saber que tudo o que devemos fazer e deixamos para mais tarde, inicia desde logo um gasto de energia que nos vai enfraquecer diariamente e a longo prazo. Assim, se sabe que precisa e quer mudar a sua vida, se se revê neste artigo, recorra ao Feng Shui e comece um ciclo novo de vitalidade e recuperação. 

Não há magia, não há mistério, há apenas técnicas de bom senso, resultantes de muito trabalho de observação e compilação de resultados.  
As decisões e o trabalho vão ser seus, mas com algumas informações e muita determinação, a vida vai voltar a sorrir.