MENU

Feng Shui, a arte de viver em harmonia Paula Alexandra Oliveira, 01 de Agosto de 2018

Há uma frase magnifica do mestre espiritual indiano Sri Aurobindo que diz que “todos os desafios da existência são desafios de harmonia”. 
A vida, em todas as suas formas e expressões, desde a mais elementar à mais complexa, busca com todo o seu âmago felicidade e luz. Procura um estado de harmonia, de ordem, sem esforço.
Nessa busca incessante pela qualidade de existir são várias as portas que se vão abrindo na consciência daquele que busca, indicando caminhos, ferramentas, lugares onde vamos pelo que somos e pelo que sonhamos. Alguns desses lugares são a nossa casa e, para mim encontrei muitas das minhas respostas na minha busca por essa qualidade de vida interior nos ensinamentos da Metafisica chinesa no geral e, em particular, na sua quinta arte, a arte do Feng Shui.

Sendo a mais material de todas, a arte do Feng Shui proporciona ao praticante um conhecimento integrado das leis que regem a vida. Sem conhecimentos dessas leis, da ordem subjacente aos princípios que nos regem neste local onde, presentemente, nos encontramos, somos seres errantes sobrevivendo num loop contínuo de repetição de padrões, migrando continuamente entre estados de extrema de felicidade e profundo desespero.
Como seres pensantes que somos com esta mente com um enorme potencial  criador, mas, também, com grande potencial de destruição, precisamos de ordem, precisamos de dispor, na nossa vida, de uma forma ordenada, as partes do todo que somos. Quando vivemos pelo equilíbrio fazemos isto pela natural capacidade que temos de nos adaptar.
Para a Macrobiótica, um organismo saudável é aquele que consegue manter a sua capacidade de adaptação  a um ambiente onde a única constante real é a mudança. Precisamos apenas reaprender a agir como as crianças e procurar um olhar renovado sobre tudo o que nos rodeia, melhorando a qualidade da nossa perspetiva.
É neste caminho que a arte do Feng Shui pode, realmente, ajudar: podemos manifestar harmonia nas nossas vidas conhecendo e praticando, sintonizando a nossa vibração interna com os princípios que regem o equilíbrio da natureza pois o conhecimento e a aplicação da arte do Feng Shui não é mais do que o alinhamento com os princípios das 7 leis fundamentais da vida. São elas: Lei da transformação perpétua, Lei da relatividade, lei da vibração, lei da polaridade, lei do ritmo, lei da causa e efeito e lei da gravidade.
Num próximo artigo vamos falar um pouco sobre estas leis que são a materialização dos princípios do Feng Shui. Por agora termino com outra frase para meditarem e deixo aqui a nossa sugestão de verão de experimentarem o One World Festival 2018 que acontece este ano e pela primeira vez em Portugal, no monte Orada de 11 a 17 de agosto. No One World, apresentamos uma seleção exclusiva de workshops e palestras durante a semana. Uma extensão de conhecimento e um espaço de troca, aprendizagem, felicidade, criatividade e alegria. Fica a sugestão.
"Na prática: se a Matéria é Espírito, todas as coisas são formas do Espírito; devem, por isto, ser tratadas com todo zelo e respeito, sem descuido, desleixo ou desperdício. A matéria do corpo físico individual é a porção da Matéria universal que nos é dada para que a “colonizemos” e infundamos nela o máximo de consciência possível – ou, antes, ajudemos a despertar a consciência que já está latente nela. (Sri Aurobindo)"